sexta-feira, 12 de outubro de 2007

Tempos de Revolta

Mais um ano trabalhando com educação. Mais um ano de decepção. É triste ver o sistema educacional em tamanha decadência. É triste ver a população sem a menor preocupação. Os profissionais da área sem a menor motivação. O professor sendo visto como vilão, e os políticos, na maior cara-de-pau, achando-se no direito de continuar com a corrupção!
Na escola em que trabalho não há a mínima infra-estrutura. Não há recursos, desde o mais simples. Retro-projetor, DVD, máquina de xerox? Contente-se, querido professor, com quadro-negro, giz e mimeógrafo! E mesmo o mimeógrafo já está difícil de usar. Por que está ultrapassado? Não! Porque não recebemos nem mais folha de ofício! "Não tem, peçam aos alunos", assim nos é dito! Mas não é justo nem aos professores nem aos alunos ter que proporcionar esse material enquanto tanto dinheiro é desviado!
Os governantes não querem mudar o sistema. Não vale a pena. Se o povo for mais educado, e assim melhor informado, não venderá mais seu voto por migalhas como faz, não continuará fazendo de conta que tudo vai bem, será mais crítico e participativo em relação às decisões administrativas do Estado, exercerá seus direitos de cidadão!
Mas é muito triste ver que o povo não tem noção do poder que tem nas mãos, se subestima, se desvaloriza, se contenta com a política assistencialista, que "dá o peixe e não ensina a pescar" e deixa a população na ignorância!
Sonhara eu fazer a diferença, sonhara eu mudar essa triste realidade, sonhara eu alcançar o coração, o pensamento da comunidade e ajudar a humanidade! Mas fui pega pela descrença, convivendo diariamente com a triste verdade de que a acomodação e a ignorância fazem parte da vida dessas pessoas sofridas que não acreditam que podem fazer diferente e mudar sua realidade, percebi que sozinha nada posso fazer, não tenho meios para convencê-las do poder que têm.
Acabei por estender a mão amiga para amenizar o sofrimento dessas pobres criaturas as quais ensino. Além de professora, fui terapeuta, conselheira, psicóloga. E recebi muito carinho de pessoas que não o vivenciam em seu lar. Mas não consigo mais conviver com essa tristeza, essa pobreza. Sofro ao pensar que não sou forte o suficiente para agüentar.
E mesmo eu, paradeiro da esperança, estou perdendo a confiança de que um dia irá mudar. E já faço planos, e me ponho a pensar em outros ares, outros lugares, que irei sobrevoar e me arriscar. Não aceito e nem consigo me acomodar! Espero um dia, de outra forma, poder ajudar.
Educação, lhe peço perdão por minhas costas lhe dar! Mas é que não consigo mais suportar!!!

3 comentários:

CARLOS H. SILVA disse...

ESTA VEIA CRONISTA EU NÃO CONHECIA!!!
FICOU ÓTIMO, APESAR DA TRISTESA E INDIGNAÇÃO DAS TUAS PALAVRAS!!!!
PARABENS!!!!!
PROFESSORA, APESAR DE TODOS SACRIFÍCIOS!!!

CARLOS H. SILVA disse...

ESTA VEIA DE CRONISTA EU NÃO CONHECIA!!!
MUITO BOM, APESAR DA INDIGNAÇÃO E TRISTESA DAS TUAS PALAVRAS!!!!
PARABENS PROFESSORA, VC`S É QUE SÃO FODA!!!!

Anônimo disse...

Uau que lindo! Tomara que publiquem, pois o texto deve chegar ao maior número de pessoas que for possível. Não é um texto com final bonito, e isto choca, e as pessoas precisam deste choque para acordar!!!
P.