quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Distância da Troca

Há vezes que por certo não aguento
Quanto mais perto, maior tormento
E vem a distância como acalento
Explora cada um seu momento

Como é bom o desprendimento
Cada um com seu passatempo
Muitas gamas de pensamento
Vários corpos em movimento

Indivíduos e seus afazeres
Sujeitos por seus prazeres
Amantes de seus saberes

Então, novidade, saudade
A companhia não é óbvia
E a troca é de verdade

Nenhum comentário: