segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Raiva & Pessimismo

Há quem fique irritado ao ser motivo de chacota, há quem fique irritado por não alcançar um objetivo traçado, há quem fique irritado ao ser contrariado.
Sêneca disse que devemos ser mais pessimistas para evitar a raiva. Ele explica que, analisando as possibilidades de algo dar errado, estaremos preparados se isso vier a acontecer, não sendo pegos de surpresa pela insatisfação, sabendo lidar com a situação.
Concordo com tal pensador quanto ao fato de que aceitarmos que nem tudo está sob nosso controle e estarmos preparados para o pior ajuda a dominar o sentimento de frustração e logo a raiva que tende a segui-lo.
Porém, nem sempre temos capacidade de tamanho autodomínio. Nos sentimos injustiçados, apunhalados, dilacerados e a raiva pode ser, muitas vezes, o sentimento que nos ajuda a superar, nos reerguer. Mesmo não sendo o ideal de motivação!
Quero deixar claro aqui que prefiro basear a superação de meus problemas no otimismo, na esperança de novos projetos. Mas, não poderia deixar de mencionar: quando a ira me tomar (se a causou então!), saia de perto, atravesse a rua, siga outra direção!
É melhor evitar confusão!

2 comentários:

Wagner Sabbado da Rosa disse...

Acho que ser uma ovelhinha que diz bééé e que é sempre boazinha com todos não funciona. Estou pensando nas idéias de Nietzsche e quem sabe ter as vezes uma atitude de leão que briga e se impõe seja util. A utilizaçao das emoções de forma mais controlada é legal, mas não deixar um espaço para a ira e mesmo o pessimismo talvez bloqueie algo que queira se manifestar. Tudo é uma questão de autocontrole, mas que realmente nao posso falar muito. legal o post!

Karina Santana disse...

Obrigada, Wagner! Realmente auto-controle é importante e dxar os sentimentos fluírem tb! Não dá pra ser sempre controlado, senão parece mais um robô! Abraço