quarta-feira, 2 de junho de 2010

Sobreposição

Às vezes criamos sobreposições.
Para formarmos um look moderno, sobrepusemos uma blusa a outra mais básica ou menos estilosa. Ou a sobpusemos. Trocamos. Misturamos. Criamos vários looks com poucas peças.
De forma parecida, fazemos sobreposições com nossos valores. Sabemos valorizar diferentes aspectos da vida. Uns mais. Outros menos. Colocamos uns acima de outros e invertemos suas posições de acordo com nossas experiências, com nosso momento.
Por exemplo, um sujeito pode estar estritamente preocupado com sua vida profissional enquanto outro prima pelo bem-estar de sua vida conjugal, ainda um pode ter por objetivo a compra de determinado bem ao mesmo tempo em que outro planeja incessantemente um filho.
Pode se ter todos estes objetivos ao mesmo tempo, conciliando-os, articulando para que um não se sobreponha a outro? Feliz daquele que o consegue. Mas há quem o diga impossível. Um sempre se sobrepõe a outro.
A questão é: o que realmente importa? Em que baseamos nossas escolhas?
A sociedade tem virado seu olhar para a moda, a economia, a ciência.
E as questõs pessoais? E a moral, a ética, a educação?
Em um mundo onde muitas pessoas desistem de tentar e enquadram-se ao sistema, mais por desilusão que por satisfação, escolha bem as roupas que você irá usar. De seu look depende as coleções futuras.
Você não precisa abrir mão e ser um homeless que, inclusive, está em voga (homeless chic está na moda). Você não precisa ser hippie, nem chique.
Mas, saiba fazer suas sobreposições.

Um comentário:

subvertendo disse...

sobreposição
por baixo da roupagem, certamente está a essência. vamos então nos despir dos preconceitos.